Billions (1a Temporada): Quem é o mocinho e quem é o vilão?

Billions (1a Temporada): Quem é o mocinho e quem é o vilão?

Já vou começar dizendo que o grande trunfo da 1a temporada de Billions é justamente não dar uma resposta para a pergunta acima.

431_768x308
Imagem via The Movie Network

Bobby Axelrod (Damian Lewis) é um bilionário, dono de uma empresa que gerencia fundos de investimentos. E Chuck Rhoades (Paul Giamatti) é um promotor público, conhecido por investigar, e colocar na cadeia, executivos e empresários corruptos. Sem dar spoilers, posso dizer que, quando Chuck Rhoades decide que seu próximo alvo será Bobby Axelrod, arma-se uma verdadeira guerra de poderes, com estratagemas moralmente questionáveis, e ações/reações, escolhas/consequências, bem dramáticas.

Os dois protagonistas têm qualidades e defeitos, cada um com suas próprias ideias de certo e errado, e por isso mostram-se controversos: heróis e vilões, dependendo da situação e da perspectiva. E o espectador, acompanhando os 2 lados dessa história, acaba torcendo ora por um, ora pelo outro, capturado em um emocionante dilema.

Outro atributo da série é retratar, de maneira bastante intrigante, o mundo do mercado de ações. Eu não entendo nada do assunto, como a maioria das pessoas, eu presumo. Por isso, achei a série bem acessível e fascinante para leigos como eu. E ao mesmo tempo que trata de assuntos sérios, que me fazem pensar na minha própria realidade, meus valores e “O que eu faria?”; a série também tem muitos momentos divertidos, de ironia e reviravoltas.

Eu recomendo esta série para quem gosta do Damian Lewis e/ou do Paul Giamatti, porque os dois estão excelentes. Para quem gostou dos filmes O Lobo de Wall Street (2013) e A Grande Aposta (2015). E para quem gosta de dramas com grandes rivalidades, reviravoltas, e sem maniqueísmo.

Quem já assistiu Billions? Gostaram ou não? Você é #TeamAxe ou #TeamChuck? Eu torço para os dois continuarem o duelo!

Anúncios